sábado, julho 10, 2010

O Pior cachorro do mundo

 Poster do Filme

 Recentemente, eu assisiti um filme com o Richard Gere chamado "Sempre ao seu lado" (2009), que é baseado em uma história real que se passou no japão, o filme conta a história de um cachorro achado na linha do trem por um cara (Richard Gere) e que depois de diversas tentativas fracassadas de devolver o cãozinho ao dono o homem resolve ficar com ele e então, se tornam amigos inseparaveis a ponto do rapaz sair para trabalhar e o cachorro ir junto mas, ele fica esperando na estação de trem pelo dono, ou seja, ele leva o dono pro serviço e perto do horário de retorno ele volta para buscar o dono, só que acontece uma fatalidade com o dono do cachorro e ele não volta mais para a estação, ele morre.

 O cachorro, sem entender nada, fica ali, dia e noite, semana após semana e meses após meses e depois de 9 anos o cachorro morre, esperando pelo dono que nunca viria. O cachorro, antes de morrer, saiu no jornal e ficou conhecido por todos que passavam por ali, após sua morte foi colocado uma estátua em homenagem ao cachorro por sempre esperar fielmente pelo dono naquele lugar. Confesso que o filme é bem bonito.







Capa original do livro

 Entretanto, não é sobre o filme que resolvi escrever hoje, é sobre o MEU cachorro, e o título desta crônica da a entender que vou falar do livro "Marley & Eu, vida e amor ao lado do pior cachorro do mundo" que apesar de eu já ter lido esse livro, e gostei também (inclusive já tem até um filme sobre ele, mas eu achei uma porcaria se for comparado ao livro), meu post de hoje, não seria sobre ele, resolvi contar um pouco sobre o meu cachorro e um pouco de mim também.

 Numa época em que eu estava radiante, resolvi comprar um cachorro, não sei o nome da raça dele, cada dia escuto um nome diferente, mas sei que ele é do tipo daqueles cachorros "salsicha", a dona que me vendeu, me disse que ele era mimado e que precisava de muito carinho, ok, eu entendi o recado, e como sou pobre peguei o cachorro e escondi ele dentro da bolsa e peguei um ônibus.
 
Eu e o meu cachorro

 Ele ficou resmungando o caminho inteiro, sorte a minha que ninguém falou para o motorista se não eu teria que ir embora a pé com ele. Já na vida em casa, ele corria a casa inteira, mas era (?) MUITO teimoso, ele não gostava de ficar sozinho, mas não chegou a me dar tanto trabalho enquanto eu morava em uma casa.

 Depois de alguns meses, mudamos para um apartamento. Gente, acredite, conheci o lado demoníaco do meu cachorro, ele destruiu a porta do quarto do meu irmão fazendo um buraco nela pra ele passar, destruiu a porta da sala também, comeu TRÊS vezes o fio do meu notebook (detalhe, três fios diferentes, ele comia um e eu comprava outro), quem tem um notebook sabe que um fio da fonte custa por volta de 100~150 reais, ele também comeu meu colchão fazendo uma cratera nele, como se não bastasse ele esperou virar o colchão e fez otura cratera nele, ou seja, ficou com dois enormes buracos no meu colchão, um de cada lado, mijava a casa inteira e nos móveis (inclusive em cima das camas), quando ficava só, além de destruir as cosias, ele chorava muito.

 
Foto d'o Pior cachorro do mundo

 Atualmente, ele ta mais calmo, mas não é por causa da idade (quase dois anos), é por que agora ele fica preso dia e noite mesmo, foi dificil ele se acostumar, hoje em dia ele não chora tanto e em rarissimas exceções eu o solto para dar uma corrida, mas não quando eu o levo para passear, pois ele fica no meio dos carros e não tem medo, e nem noção do perigo que corre.

 Um dia eu estava passeando com ele, e ele resolveu atacar um cachorro maior que ele, por estar cheirando um poodle que tenho em casa, nem preciso dizer que tive que sair correndo com ele para não sermos pegos, não é? Incrivel a capacidade que ele tem de se meter em confusões.

 Uma vez, quando eu o deixava solto na rua pra fazer as necessidades, um cara (velho!) de outra rua veio até minha casa e fez um escandalo por que meu cachorro fez coco na calçada dele, eu até entendo, mas daí usar isso como desculpa para dizer que vai envenenar o meu cachorro? Nem preciso dizer que quase voei no pescoço dele, por que ele não vai lavar a louça ao invés de arrumar confusão na rua? Não que eu esteja certo, mas me ameçar é o cúmulo, um dia eu o denuncio, afinal, judiar de animais é um crime, e ACHO que inafiançavel! Fora que sempre quando passo em frente a casa dele, ele faz uns barulinhos com a boca para eu saber que ele está me vigiando, detalhe, depois do ocorrido eu sempre andei com os cachorros na colera e pego as caquinhas deles na rua com uma sacola.

Doutor Pet e seu cãozinho no seu programa da Record

 Um outro episódio interessante, é que SEMPRE quando uma pessoa especifica chega em casa, uma amiga da minha mãe, meu cachorro, preso, faz o maior estardalhaço por causa dela, e não para até ela ir lá e falar com ele, aí ele todo alegre, se mija inteirinho (de felecidade?).

 Enfim, vou levando a vida com meu cachorro problemático, tenho inveja de outros cachorros, como o do filme que citei no inicio do post e de outras pessoas onde os cachorros são muito mais comportados (tipo, a irmã dele), será que se eu chamar o "Doutor Pet", ele resolverá meu problema? Enfim, vai saber, acredito que ele sairá correndo pela primeira vez de um cachorro desobediente.

 Foto dos meus três cachorros

 Obs.: A propósito, o nome do meu cachorro salsicha é CHIP e o da poodle é CALEF, eu tinha um outro poodle que era super bonzinho e obediente (igual a calef) e ele se chamava Cauê (foto acima, deitado), saudades filhote (não, ele não morreu, me mudei para apartamento e minha mãe deu ele, triste isso). Qualquer dia desses escrevo também sobre a saga dos meus hamsters (trsite também). Será que isso em forma de livro faria sucesso? hummm... quem sabe um dia.... (risos).

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens Populares

.

.