domingo, setembro 12, 2010

Download de Livros: Clássicos #1


 Bom, faz algum tempo que eu queria postar estes livros por aqui mas sempre adiava pois existem dezenas de clássicos muito bons, então, vou dividi-los em uma série de posts (não sei ao certo quantos), então, chegou a hora de divulgar alguns clássicos que podem ser lidos de graça no conforto do seu lar, todos eles encontrados no site do governo onde se encontram dezenas de livros em dominio público, os livros citados aqui são apenas uma amostra do que você pode encontrar por lá.

Os Livros para baixar são:

A Escrava Isaura (Bernardo Guimarães)
A Moreninha (Joaquim Manuel Macedo)
A Metamorfose (Franz Kafka)
A Volta ao Mundo em 80 dias (Júlio Verme)
O Alienista (Machado de Assis)

Confira abaixo a capa, sinopse e os links para download dos livros. Só Lembrando que os livros estão em formato PDF.





A Escrava Isaura (Bernardo Guimarães)

 A história começa em Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, onde Isaura vive como escrava e impossibilitada de ser livre por obsessão de seu sinhô Leôncio. Então o pai de Isaura, Miguel, decide fugir com a filha. Em Recife, Isaura adota outro nome, mas é reconhecida por Martinho, um ganancioso interessado no dinheiro da recompensa.
 O próprio Leôncio vai a Recife e a traz de volta, onde uma série de desdobramentos muda a vida de todos os envolvidos.
 
 Para ler o livro, clique aqui.



A Moreninha (Joaquim Manuel Macedo)

 O estudante Augusto julga-se vacinado contra a praga do amor. Aposta que, das garotas da ilha, nenhuma o prenderá por mais de quinze dias. As meninas também não querem compromisso, só festejar e divertir-se. E a mais brincalhona é Carolina. Tão esperta, tão misteriosa! então... Escrita em 1844, A Moreninha seria o modelo de todas as novelas românticas brasileiras.

Para ler o livro, clique aqui.



A Metamorfose (Franz Kafka)

 A metamorfose é a mais célebre novela de Franz Kafka e uma das mais importantes de toda a história da literatura. Sem a menor cerimônia, o texto coloca o leitor diante de um caixeiro-viajante - o famoso Gregor Samsa - transformado em inseto monstruoso. A partir daí, a história é narrada com um realismo inesperado que associa o inverossímil e o senso de humor ao que é trágico, grotesco e cruel na condição humana - tudo no estilo transparente e perfeito desse mestre inconfundível da ficção universal.

Para ler o livro, clique aqui. Escrevi a resenha dele, para ler, clique aqui.



A Volta ao Mundo em 80 dias (Júlio Verme)

 Phileas Fogg, um cavalheiro britânico, aposta com os membros do seu clube que fará a volta ao mundo em oitenta dias. E hei-lo que parte acompanhado do seu criado Passepartout, um parisiense esperto e expedito. Para ganhar a aposta, teria de regressar a Londres em 21 de Dezembro de 1872, às vinte horas e quarenta e cinco minutos.


 Acusado, porém, de ser o audacioso assaltante do Banco de Inglaterra, Phileas Fogg será permanentemente perseguido pelo detective Fix, que, todavia, nunca consegue detê-lo... A Volta ao Mundo em 80 dias, um dos romances mais célebres de Júlio Verne, alia à graciosidade e ao humor, o verdadeiro espírito da aventura, do "suspense" e de um brilhantismo de escrita que raras vezes foi igualado.

Para ler o livro, clique aqui.


O Alienista (Machado de Assis)

Simão Bacamarte é o protagonista, médico conceituado em Portugal e na Espanha, decide enveredar-se pelo campo da psiquiatria e inicia um estudo sobre a loucura e seus graus, classificando-os. Funda a Casa Verde, um hospício na vila de Itaguaí e abastece-o de cobaias humanas. Passa a internar todas as pessoas da cidade que ele julgue loucas; o vaidoso, o bajulador, a supersticiosa, a indecisa etc. Costa, rapaz pródigo que dissipou seus bens em empréstimos infelizes, foi preso por mentecapto. A tia de Costa que intercedeu pelo sobrinho também foi trancafiada. O mesmo acontece com o poeta Martim Brito, amante das metáforas, internado por que se referiu ao Marquês de Pombal como o dragão aspérrimo do Nada. Nem D. Evarista, esposa do Alienista escapou: indecisa entre ir a uma festa com o colar de granada ou o de safira. O boticário,os inocentes aficcionados em enigmas e charadas, todos eram loucos. No começo a vila de Itaguaí aplaudiu a atuação do Alienista, mas os exageros de Simão Bacamarte ocasionaram um motim popular, a rebelião das canjicas, liderados pelo ambicioso barbeiro Porfírio. Porfírio acaba vitorioso, mas em seguida compreende a necessidade da Casa Verde e alia-se a Simão Bacamarte. Há uma intervenção militar e os revoltosos são trancafiados no hospício e o alienista recupera seu prestígio. Entretanto Simão Bacamarte chega á conclusão de que quatro quintos da população internada eram casos a repensar. Inverte o critério de reclusão psiquiátrico e recolhe a minoria: os simples, os leais, os desprendidos e os sinceros. O alienista contudo, imbuído de seu rigor científico percebe que os germes do desequilíbrio prosperam porque já estavam latentes em todos. Analisando bem, Bacamarte verifica que ele próprio é o único sadio e reto. Por isso o sábio internou-se no casarão da Casa Verde, onde morreu dezessete meses depois. Apesar do boato de que ele seria o único louco de Itaguaí, recebeu honras póstumas.

Para Ler o livro, clique aqui.

==================================

Em breve posto mais alguns clássicos interessantes aqui no blog, fique ligado!

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens Populares

.

.